Skip to main content

Dinétah – A terra entre as montanhas

Por

Meu avô, Victorio Martinez, costumava falar sobre a terra que fica entre o Pico Blanca, a "Montanha da Concha Branca", em Fort Garland, Colorado; o Monte Taylor, ou "Montanha Turquesa", em Grants, Novo México; os Picos San Francisco, ou "Montanha de Abalones", em Flagstaff, Arizona; e as Montanhas La Pilates, ou "Montanhas de Jade Negra", em Durango, Colorado.  Ele se referia à terra entre essas montanhas como "Dinétah", as terras originais dos Dinés, também conhecidos como nação navajo.

Nota do editor: Samuel Harrison é um assistente social que atua como presidente do centro em Nageezi, da nação navajo. O Rotary Club de Durango Daybreak trabalhou com os navajos para instalar kits de luz solar para aqueles que não possuem energia elétrica. 

Ele me contou que a maioria dos acontecimentos que levaram ao modo de vida dos Dinés aconteceu aqui, entre essas montanhas sagradas: as histórias do Coyote, a jornada dos gêmeos até o sol, a descoberta da menina em Gobernador Butte e sua primeira cerimônia da puberdade, a primeira cerimônia de cura de guerreiro para o Monster Slayer. Tantas histórias de muito tempo atrás, mas verdadeiras, não fictícias.”

Acredito realmente que ele amava essa terra e o modo de vida que levava.  Ele era um caçador. Seu pai, meu bisavô, foi nomeado "O Caçador", e sua mãe era a "reunificadora das mulheres guerreiras". Os eventos mais recentes de que havia falado haviam acontecido um tempo antes da Longa Caminhada e das mudanças no modo de vida após isso: a descoberta de petróleo, gás, carvão, urânio, cobre, prata e outros minerais. Seu modo de vida foi impactado e, ao falar disso, lágrimas vinham aos seus olhos.

Victorio Martinez, ou "Bidoltoh", faleceu em 1954 aos 98 anos. Sinto falta de todas as suas histórias. Lamento não me lembrar de tudo o que ele me contou.

A Agência Navajo Oriental é Dinétah, e o Chaco Canyon fica bem no centro dela. A terra tem formato de um tabuleiro de dama: terras do estado, terras da ordem administrativa, algumas terras florestais, terras privadas e blocos maiores de 40 acres compartilhados por muitas famílias. Há problemas quanto ao isolamento, falta de eletricidade, estradas não pavimentadas, água, transporte e outros recursos, como emprego, supermercados e clínicas. 

Os centros dos navajos estão fazendo tudo o que podem para ajudar seu povo, mas sempre enfrentam dificuldades financeiras. A comunicação costumava ser um problema, o que mudou graças aos telefones celulares e computadores que a maioria das pessoas possui. Ninguém mais usa o telefone fixo além de empresas, hospitais e governo.

Em geral, mesmo que um modo de vida tenha mudado, a vida continua e há muitas bênçãos dentro desse "novo modo de vida". Fontes de energia limpa, como unidades solares, energia eólica, hidroeletricidade, energia radiante, energia geotérmica, biomassa e até mesmo gás natural comprimido e energia nuclear são usadas em vários lugares, mas não em terras indígenas.  

Por isso, aqui em Dinétah, a instalação das unidades solares para as famílias necessitadas é uma benção.

 

O poder da luz

Muitos navajos vivem sem energia elétrica. A instalação de unidades geradoras de energia solar está mudando a vida deles.

Leia o artigo