Skip to main content

Doação de US$ 15,5 milhões financiará novo Centro Rotary pela Paz no Oriente Médio ou Norte da África

Otto e Fran Walter criaram sua fundação para combater a fome e promover a paz. A entidade prometeu US$ 15,5 milhões à Fundação Rotária para o estabelecimento de um Centro Rotary pela Paz no Oriente Médio ou no Norte da África. 

Foto: The Otto and Fran Walter Foundation

A Fundação Otto e Fran Walter se comprometeu a doar US$ 15,5 milhões à Fundação Rotária para a criação de um Centro Rotary pela Paz no Oriente Médio ou no Norte da África.

O novo centro oferecerá um programa de aperfeiçoamento profissional focado em consolidação da paz e desenvolvimento. A generosa doação da Walter Foundation, cuja sede fica em Boothbay Harbor, no estado de Maine, EUA, financiará os custos iniciais e as despesas operacionais do centro, bem como um fundo que proporcionará bolsas de estudo perpetuamente para até 40 estudantes por ano.

"Há muito tempo o Rotary vem buscando maneiras de fazer uma contribuição tangível para essa área do mundo onde o elemento paz parece estar tão ausente", afirma o chair do Conselho de Curadores da Fundação Rotária, K.R. Ravindran. "Agora, a oportunidade bateu à nossa porta, graças à imensa generosidade da Fundação Otto e Fran Walter. Aproveitaremos a oportunidade para criar um centro onde possamos inspirar nossos bolsistas a darem vazão ao seu espírito pacifista, equipando-os para que apoiem ações que levem paz e boa vontade a uma região tão conturbada."

A Fundação Rotária selecionará uma instituição parceira para o Centro Rotary pela Paz Otto e Fran Walter em 2024, e os primeiros bolsistas deverão começar a estudar no estabelecimento em janeiro de 2026.

Otto e Fran Walter estabeleceram sua fundação familiar para promover a paz e outras causas beneficentes, e sua missão continua viva, mesmo depois da morte dos dois. Otto nasceu na Alemanha em 1907, onde trabalhou como advogado. Quando o totalitarismo se instalou na Europa, o governo nazista promulgou as Leis de Nuremberg, que proibiu os judeus de desempenharem suas ocupações. 

Assim, Otto trabalhou brevemente como auxiliar jurídico antes de emigrar para os Estados Unidos, em 1936. Ele e seus pais se estabeleceram em Nova York.

Como seu diploma de Direito não era reconhecido nos Estados Unidos, Otto aperfeiçoou seu inglês e iniciou sua formação profissional. Ele tirou uma licença de contador e abriu uma firma de contabilidade. No entanto, nunca deixou de acreditar que poderia voltar a trabalhar como advogado. Mais tarde, vendeu seu escritório de contabilidade e ingressou na Faculdade de Direito de Nova York, formando-se em 1954. No ano seguinte, abriu um escritório que, com o apoio de sua esposa, Fran, cresceu consideravelmente, chegando a empregar 40 advogados.

Por meio do seu trabalho jurídico, Otto ajudou a promover a paz e melhorar as relações entre a Alemanha e os EUA. Após a revogação das Leis de Nuremberg, ele conseguiu uma licença para exercer advocacia na então Alemanha Oriental e serviu como assessor do Ministério da Fazenda alemão durante as negociações de um tratado de imposto de renda entre os EUA e a Alemanha, em 1954. Mais tarde, Otto e Fran se concentraram em sua fundação filantrópica, envolvendo-se pessoalmente nos subsídios que financiaram. Otto tornou-se associado do Rotary Club de New York City.

 

Após a morte de Otto e Fran, em 2003, o rotariano Frank Helman, amigo e colega de profissão de Otto, tornou-se presidente e diretor da sua fundação. Ele e sua esposa, Martha "Marty" Helman – a atual presidente da fundação – viabilizaram a doação de US$ 15,5 milhões à Fundação Rotária. O casal Helman faz parte do Rotary Club de Boothbay Harbor. 

“Não há maneira melhor de homenagear Otto, Fran e seu legado do que por meio de um Centro Rotary pela Paz no Oriente Médio – uma parte do mundo dilacerada por conflitos", diz Marty, que também atua como presidente da Comissão da Iniciativa de Doações Extraordinárias para a Paz da Fundação Rotária. "A Fundação Walter é uma pequena fundação familiar; precisávamos da parceria com o Rotary para criar algo grande, como esse centro pró-paz de classe mundial.”

Desde que os primeiros Bolsistas Rotary pela Paz começaram seus estudos, em 2002, os Centros Rotary pela Paz já formaram mais de 1.400 pessoas que hoje trabalham em cerca de 115 países. Muitas servem como líderes em governos, organizações não governamentais, forças armadas, áreas relacionadas à educação, departamentos policiais e organizações internacionais, como Nações Unidas e Banco Mundial. 

Saiba mais sobre os Centros e as Bolsas Rotary pela Paz