Skip to main content

Programação do Dia Mundial de Combate à Pólio teve foco na reta final da erradicação

Skip to main content

por

Durante a atualização global, em 24 de outubro, especialistas em saúde global concordaram que o objetivo do Rotary de livrar o mundo da paralisia infantil está muito próximo de ser alcançado. A programação de 30 minutos, intitulada “Cumprindo Nossa Promessa de Um Mundo Livre da Pólio”, passou informações sobre o progresso para dar fim à doença e os desafios remanescentes.

Até agora, em 2021, apenas dois casos de pólio selvagem foram registrados: um no Afeganistão e outro no Paquistão, os únicos países onde a poliomielite permanece endêmica. Este é o menor número de transmissão já registrado.

Na sessão de perguntas e respostas, o Dr. Hamid Jafari, diretor da Organização Mundial da Saúde para a Região do Mediterrâneo Oriental, citou três fatores responsáveis pelo sucesso. Entre eles a retomada das campanhas de vacinação em massa contra a pólio que foram interrompidas por causa da pandemia, a imunidade natural estabelecida por surtos de pólio em anos anteriores, e as restrições quanto às viagens e movimentação populacional.

“Isto não tem precedentes e é realmente extraordinário vermos este declínio simultaneamente nos dois países”, adicionou Jafari.

Ele acrescentou que o baixo número de casos descortina oportunidades para os trabalhadores da saúde, mas advertiu que um ressurgimento do vírus da poliomielite é possível, já que o verão é a estação perfeita para a sua transmissão. “Esse é o momento de trabalharmos arduamente para aproveitarmos essa oportunidade”, disse ele ao anfitrião da sessão Jeffrey Kluger, que é o editor geral da revista Time.

Jafari também abordou os desafios da mudança política e as preocupações com a segurança e os conflitos no Afeganistão, explicando que o combate à pólio lá se adapta operacionalmente durante tempos incertos. “Atualmente, vemos oportunidades que também estão surgindo para termos acesso a todas as partes do Afeganistão e implementarmos campanhas de vacinação em massa.”

Conforme informado pela OMS e pelo Unicef, as vacinações contra a pólio de porta em porta voltarão ao Afeganistão no começo de novembro, proporcionando acesso às crianças em áreas onde as campanhas estiveram proibidas nos últimos três anos.

“Com a evolução da situação no Afeganistão acontecendo, é claro que é muito importante que nós, parceiros, mantenhamos nossa neutralidade e a imparcialidade do programa de erradicação da pólio”, acrescentou Jafari. “Como sempre, continuaremos trabalhando com todas as partes envolvidas.”

Mohammad Ishaq Niazmand, presidente da Comissão Pólio Plus no Afeganistão, compartilha das mesmas opiniões de Jafari no vídeo gravado com seu colega paquistanês, Aziz Memon.

Sobre o Afeganistão Niazmand disse: “O Rotary e seus parceiros estão trabalhando com todas as partes interessadas para garantir que a erradicação da pólio continue sendo uma prioridade, mesmo em meio a mudanças. Estamos trabalhando para garantir que as  crianças tenham acesso à vacina antipólio e a outros imunizantes que salvam vidas.”

Memon, que é curador da Fundação Rotária e presidente da Comissão Pólio Plus do Paquistão, disse que o Rotary continua trabalhando com líderes governamentais, comunitários e  religiosos. “Ao oferecer amplos serviços de saúde para crianças e famílias, paralelamente à vacinação contra a pólio, garantimos melhores cuidados de saúde e maior aceitação da vacina.”

Estratégias para o futuro

Este ano, a Iniciativa Global de Erradicação da Pólio (GPEI) anunciou a estratégia de cinco anos, de 2022 a 2026, para dar cabo de todos os vírus causadores da paralisia infantil. Isso abrange a neutralização da persistente transmissão do vírus derivado da vacina em circulação. O Rotary e nossos parceiros na GPEI identificaram os obstáculos remanescentes à erradicação da pólio e desenvolveram abordagens para alcançar a meta. O plano visa conquistar e manter um mundo sem pólio com foco na implementação e prestação de contas ao mesmo tempo, utilizando-se métodos e ferramentas inovadoras.

Isto não tem precedentes e é realmente extraordinário vermos este declínio simultaneamente nos dois países.


Diretor da Organização Mundial da Saúde para a Região do Mediterrâneo Oriental

A ênfase será na diminuição do tempo de resposta a qualquer surto, no aumento da demanda de vacinas, no aumento do acesso aos cuidados de saúde e vacinas, na transição para a propriedade governamental dos programas de vacinação, e na melhoria da tomada de decisões e da responsabilidade.

“Algumas das comunidades mais endêmicas são as que mais sofrem com a falta de serviços básicos de saúde e cívicos”, informou Jafari. “Portanto, há melhor alinhamento e integração com outros serviços básicos de saúde e serviços cívicos, de uma forma que o programa contra a pólio é visto como uma abordagem mais integrada à vacinação.”

Ele acrescentou que, em alguns lugares, é difícil de se chegar a todas as crianças por causa de lacunas na forma como as campanhas de vacinação são organizadas ou de ideias errôneas sobre a vacina antipólio, provocando relutância social na sua aceitação. “Esta nova estratégia visa engajar as comunidades com novas abordagens, novas estratégias, formando parcerias com comunidades e construindo novas alianças com elas”, explanou Jafari.

O programa do Dia Mundial da Pólio teve a presença de especialistas globais em saúde que abordaram a tática da nova estratégia de ampliar a distribuição de uma nova vacina para enfrentar os surtos de cVDPV2, um poliovírus derivado da vacina em circulação. Esta nova vacina oral tipo 2 (nOPV2) protege as crianças contra a pólio, ao mesmo tempo em que é mais estável geneticamente e menos provável que recupere força e cause a pólio derivada da vacina. Ela já foi introduzida em vários países africanos, incluindo Benin, Chade, Libéria, Níger, Nigéria, República do Congo e Serra Leoa.

Esta nova vacina oral contra a pólio “é um exemplo poderoso da inovação do programa contra a pólio para superar os desafios mais difíceis”, disse Simona Zipursky, conselheira sênior para a diretoria do setor que lida com a poliomielite na OMS. “Parceiros, cientistas e líderes de todo o mundo possibilitaram a criação da nOPV2. E esse é o tipo de colaboração que nos ajudará a acabar com a pólio para sempre.”

A atualização deste ano teve um vídeo mostrando agentes da saúde do Afeganistão e do Paquistão, como também rotarianos destacando seus projetos e eventos para aumentar a conscientização sobre a eliminação da paralisia infantil.

Assista ao programa completo no YouTube ou Facebook.

Veja a mensagem do presidente do RI, Shekhar Mehta, a respeito do Dia Mundial de Combate à Pólio.

25-Out-2021

Doe ao Fundo Pólio Plus do Rotary e deixe sua marca no Dia Mundial de Combate à Pólio de 2021

The 30-minute program, “Delivering on our Promise of a Polio-Free World,” provided encouraging information about the progress and remaining challenges in the fight to end polio.