Fundador do Rotary

No outono de 1900, Paul Harris se encontrou com o advogado Bob Frank no norte de Chicago para jantar. Eles saíram para uma caminhada, parando em algumas lojas no caminho. Paul ficou impressionado em ver como Frank tinha feito amizades com muitos dos vendedores.

Desde que se mudara para Chicago, em 1896, Paul não havia visto este tipo de camaradagem entre empresários e, naquele momento, começou a pensar em como poderia encontrar esse tipo de companheirismo que o lembrava da cidade onde havia crescido, em Vermont. Algum tempo depois, ele convenceu outros empresários a se reunirem para discutir a formação de um clube para negócios e companheirismo. Sua visão foi a base para o Rotary de hoje. 

“Tinha certeza que estava passando por uma experiência comum a pessoas que chegam a Chicago provenientes de fazendas e cidades pequenas. Mas se havia outras pessoas em busca de companheirismo, por que não aproximá-las?”

Paul Harris aos três anos, na época em que foi morar com os avós.

Infância

Paul Harris, filho de George e Cornelia Harris, nasceu em 19 de abril de 1868 em Racine, Wisconsin, EUA. George lutava para sustentar sua família como pequeno empresário, muitas vezes dependendo da ajuda financeira de seu pai. Em julho de 1871, Paul e seu irmão mais velho, Cecil, foram morar com seus avós paternos em Wallingford, Vermont. Paul mais tarde escreveu: "Economia nunca foi o forte de George e Cornelia, eles sempre gastaram muito.”

Paul Harris na época em que estudava na Universidade de Vermont, em Burlington, no ano de 1886

Paul foi criado por seus avós, Howard e Pamela Harris, e só encontrava os pais ocasionalmente. Ele cresceu seguindo os valores familiares presentes na Nova Inglaterra. Em outubro de 1928, quando voltou à cidade em que passou a infância para a cerimônia de fundação do Rotary Club de Wallingford, ele disse: "Grande parte da essência do Rotary teve origem na velha mesa de refeições da Nova Inglaterra.”

Ele era um menino levado. Cursou o ensino fundamental em Wallingford e o ensino médio em Rutland, onde muitas vezes fazia bagunça e cabulava aula. Paul também cursou a Black River Academy, em Ludlow, mas foi expulso depois de algumas semanas. Ele se matriculou na University of Vermont, em Burlington, mas foi expulso em dezembro de 1886 com outros três alunos por fazer parte de uma sociedade secreta. Mais tarde ele escreveu que, apesar de ser inocente, sua expulsão foi justificada. 

Paul passou o semestre seguinte com um professor particular e, no primeiro semestre de 1887, entrou para a Princeton University. Seus estudos, no entanto, foram interrompidos pela morte de seu avô em março de 1888. Apesar de ter terminado o semestre, Paul não voltou à faculdade no ano seguinte. 

Vida em Chicago

Paul Harris depois de ter começado a trabalhar como advogado, em Chicago, no ano de 1896.

Depois de Princeton, Paul se mudou para Iowa, onde trabalhou no escritório de advocacia de St. John, Stevenson e Whisenand. Depois desse período de aprendizado, cursou a University of Iowa, formando-se em direito em junho de 1891.

Em 1896, mudou-se para Chicago, onde abriu um escritório no centro da cidade. Ele permaneceu envolvido com sua profissão por mais de quatro décadas.

Paul buscou estabelecer relacionamentos significativos pessoais e espirituais que iam além de suas realizações profissionais. Ele costumava frequentar diversas igrejas aos domingos em vez de se prender a uma congregação específica. Mais tarde, Paul comentou que sua religião era, como ele próprio, difícil de rotular. “Eu realmente não tenho afiliação religiosa... Não sou fácil de classificar. Minhas convicções não se encaixam na organização rígida das igrejas... É claro que hoje em dia temos acesso a excelentes sermões pelo rádio e eu ouço três ou quatro deles todos os domingos.”

Paul amava a natureza. Em 1908, afiliou-se a um grupo que, nas tardes de sábado, fazia excursões a florestas, campos e vales próximos à cidade. Em 1911 o grupo se tornou o Prairie Club e Paul, um de seus diretores.

Nasce o Rotary

Os quatro primeiros rotarianos (a partir da esquerda): Gustavus Loehr, Silvester Schiele, Hiram Shorey e Paul P. Harris, por volta de 1905 a 1912.

Depois de abrir seu escritório de advocacia em Chicago, Paul teve a ideia de fundar uma organização para profissionais locais. Em 23 de fevereiro de 1905, Paul Harris, Gustavus Loehr, Silvester Schiele e Hiram Shorey se reuniram no escritório de Loehr, na sala 711 do Unity Building, para o que mais tarde ficaria conhecido como a primeira reunião de Rotary Club.

Em fevereiro de 1907, foi eleito o terceiro presidente do Rotary Club de Chicago, posição que ocupou até o outono de 1908. Durante seu mandato, formou a Comissão Executiva, depois chamada de Comissão de Meios e Andamentos, cujas reuniões aconteciam no horário do almoço e eram abertas a todos os associados. Daí veio a tradição adotada por tantos Rotary Clubs. 

No final de seu mandato, trabalhou para levar o Rotary além dos limites de Chicago. Alguns associados foram resistentes à ideia a princípio, devido ao investimento financeiro que seria necessário. Mas Paul persistiu e, em 1910, o Rotary já existia em várias outras cidades dos EUA. 

Paul reconheceu a necessidade de formar um Conselho Diretor e uma associação de âmbito nacional. Em agosto de 1910, a primeira Convenção Nacional do Rotary foi realizada em Chicago, onde os 16 clubes se uniram como Associação Nacional de Rotary Clubs e, em votação unânime, elegeram Paul Harris como presidente.

No final de seu segundo mandato, Paul se afastou de suas funções alegando problemas de saúde, obrigações familiares e profissionais. Ele foi eleito presidente emérito, título que manteve até sua morte. 

Em meados de 1920, voltou a se envolver ativamente no Rotary, participando de Convenções e visitando clubes em outros países. Baixe seu livro de discursos.

Jean Harris por volta de 1926-28.

Sua vida com Jean

Paul conheceu a escocesa Jean Thomson, filha de John e Ann Younson Thomson, durante uma excursão ao que futuramente se tornaria o Prairie Club. 

“Em um lindo sábado de março de 1910, juntei-me a meus companheiros do Prairie Club em um passeio de trem por Elgin e Aurora. Eu era solteiro e estava aberto a um relacionamento mais sério... Foi quando ela apareceu... A alegre e adorável Jean.”

Eles se casaram em 2 de julho de 1910, em Chicago, e em 1912 compraram uma casa no subúrbio de Morgan Park. O casal deu o nome de Comely Bank à sua casa em homenagem à rua em que Jean morou quando criança em Edimburgo. Lá eles recebiam amigos do mundo todo e várias vezes realizaram reuniões do Rotary Club de Chicago. Sempre que possível as reuniões eram feitas no jardim, que começou a ser chamado de Jardim da Amizade.

Paul e Jean Harris em Christchurch, Nova Zelândia, em abril de 1935.

O casal não teve filhos e Jean acompanhava o marido em suas viagens a Rotary Clubs em vários países. Após a morte de Paul, Jean continuou morando em Comely Bank. Depois de algum tempo, no entanto, ela vendeu a casa e voltou a Edimburgo em 1955. Lá faleceu em 1963.

A Paul and Jean Harris Home Foundation comprou a Comely Bank e tem planos para restaurá-la. Saiba como ajudar.

Por escrito

Paul queria escrever uma mensagem especial para todos os rotarianos e Chesley Perry, o primeiro secretário-geral do Rotary, sugeriu a criação de uma publicação com notícias e assuntos importantes para os clubes, cujo custo fosse coberto por anunciantes. Assim foi criada a “National Rotarian,” mais tarde conhecida como “The Rotarian,”. O artigo “Rational Rotarianism” saiu na capa da primeira edição em janeiro de 1911. Na edição de fevereiro de 1915, ele escreveu “Passing Our Tenth Milestone” em homenagem ao aniversário do Rotary.

No livro “This Rotarian Age” (1935), Paul explorou as razões que levam as pessoas a fazerem o bem e descreveu como em 1905 a cidade de Chicago estava pronta para o tipo de mudança que o Rotary poderia oferecer. Ele também abordou os desafios futuros do Rotary e seu potencial para promover a paz mundial. 

Em 1935, Paul e Jean viajaram por três meses pelo sudeste da Ásia e a Austrália. Paul queria publicar seu relato desta viagem na forma de um livro para depois lançar uma série de crônicas sobre outras viagens. Ele decidiu chamar a série de Peregrinations, sendo que Peregrinations I seria uma coletânea de histórias de viagens que fizera à Europa e à África do Sul, Peregrinations II sobre sua jornada pelo sudeste da Ásia e pela Austrália (1935), e Peregrinations III (1937) sobre sua viagem à América Central e do Sul. No entanto, ele nunca chegou a organizar Peregrinations I.

O fim de uma era

Lápide do túmulo de Paul Harris no Mount Hope Cemetery, na zona sul de Chicago. Silvester Schiele, o primeiro presidente do Rotary Club de Chicago, está enterrado próximo dali; Jean Harris, na Escócia.

Em dezembro de 1945, o casal Harris viajou a Tuskegee, Alabama, para passar os meses de inverno, como costumavam fazer. No início de 1946, Paul pegou uma gripe. Chesley Perry, associado do Rotary Club de Chicago e secretário-geral do Rotary de 1910 a 1942, viajou a Tuskegee e contou que, apesar de estar recebendo atendimento médico, Paul continuava fraco: "Ele vem tendo problemas pulmonares há alguns anos. Não está dormindo nem se alimentando bem." O casal voltou a Chicago em 28 de março de 1946.

Paul Harris faleceu aos 78 anos no dia 27 de janeiro de 1947, em Chicago, após sua longa doença. Três líderes rotários fizeram discursos em seu enterro: Chesley Perry, T.A. Warren (ex-presidente do RI) e Richard Hedke (então presidente do RI). Ex-presidentes do Rotary Club de Chicago carregaram o caixão. Leia os discursos.

Paul já havia expressado desejo de que, em vez de enviar flores, as pessoas fizessem doações à Fundação Rotária em sua homenagem. Por coincidência, dias antes de sua morte líderes rotários haviam se comprometido a uma grande iniciativa de arrecadação de fundos para a Fundação. Após sua morte, foi estabelecido o Fundo em Homenagem Póstuma a Paul Harris como maneira de solicitar essas verbas. Este fundo ajudou a estabelecer as Bolsas da Fundação Rotária para Estudos de Nível Superior. Na reunião de maio/junho de 1947, o Conselho Diretor alocou US$60.000, dos US$228.000 arrecadados, para apoiar o programa.  

Materiais de referência