Assistência humanitária nas áreas atingidas pelo tufão

Maita Manglapus, do Rotary Club de Mactan, nas Filipinas, ajuda os militares na distribuição de alimentos e água aos sobreviventes do tufão.
Sobreviventes do Tufão Haiyan, um dos maiores registrados na história, recebem alimentos e água.
Foto: Foto cedida por Maita Manglapus
Rotaractianos filipinos montam kits de assistência para os sobreviventes do tufão.
Foto: Foto cedida pelo Distrito 3860
O local de reuniões do Rotary Club de San Juanico-Tacloban, em Leyte, está entre os prédios destruídos pelo Tufão Haiyan.
Uma tenda dada pelo distrito filipino 3860 serve de abrigo temporário aos sobreviventes do tufão.
Foto: Foto cedida pelo Distrito 3860
Rotarianos de Chester, Inglaterra, ergueram uma barraca da ShelterBox em frente a um grande supermercado para coletar doações em benefício das vítimas do tufão.
Crianças na fila para receber mantimentos coletados pelo Distrito 7230, EUA.
Foto: Foto cedida por Todd Shea
Caminhão transborda com mantimentos e artigos obtidos graças a uma parceria entre Rotary Club de Boracay, Cruz Vermelha e Fundação ABS-CBN.
Foto: Foto cedida pela Cruz Vermelha de Boracay
Crianças na fila para receber artigos de primeira necessidade.
Foto: Foto cedida por Todd Shea

Por mais de três horas o tufão Haiyan sacudiu o teto, paredes e janelas da casa de Edgar Chiongbian. Os ventos fortes, mais os destroços carregados por eles, ameaçavam derrubar a casa de uma hora para outra.

Quando a intempérie passou, Edgar e sua família saíram do refúgio para calcular os estragos. "A nossa foi uma das famílias que tiveram sorte”, disse Edgar, que é governador do distrito filipino 3860. “Os danos foram mínimos.”

Infelizmente, nem todos tiveram a mesma sorte nas várias comunidades assoladas pelo tufão, um dos mais violentos da história. O resultado foram cidades costeiras inteiramente destruídas, mais de 5.200 pessoas mortas e 4,4 milhões desabrigadas. Financeiramente, o prejuízo é imenso.

Contudo, logo depois da tempestade, os Rotary Clubs do mundo todo começaram a enviar ajuda humanitária ao país. Rotarianos do território do distrito de Edgar, que foi duramente castigado, coordenaram atividades com outros distritos e clubes filipinos para a entrega de artigos de primeira necessidade, como alimentos, água, remédios e roupas.

O distrito abriu um fundo de assistência em casos de catástrofe para destinar o dinheiro onde ele é mais necessário. Edgar diz que o enfoque é primeiro oferecer ajuda emergencial, e só depois trabalhar na reconstrução. “Vai levar no mínimo um ano auxiliando as vítimas para que voltem a ter vidas normais. A fase de reconstrução só poderá acontecer depois disto, e pode levar mais tempo ainda.”

Edgar disse que o tufão destruiu casas e locais de reuniões de rotarianos. "Apesar das grandes perdas nós, aqui das Filipinas, estamos trabalhando bastante e sentimos uma gratidão muito grande por receber este suporte de rotarianos do mundo inteiro.”

O que está sendo feito pelas Filipinas:

  • O Rotary Club de Woodstock-Oxford, Canadá, levantou mais de $20.000, quantia que será equiparada pelo governo canadense.
  • O Rotary Club de Northwest Austin, EUA; o Rotary Club de San Pedro South, Filipinas; e a organização WakaWaka Light estão enviando milhares de lâmpadas movidas a energia solar para as áreas afetadas.
  • WorldWaterWorks, uma iniciativa do Rotary Club de Chelwood Bridge, Inglaterra, entregou mais de 500 caixas com água potável nas áreas atingidas.
  • Cinco distritos dinamarqueses arrecadaram mais de $60.000. Os respectivos clubes planejam arrecadar mais dinheiro para os projetos de longo prazo.
  • O Grupo de Companheirismo de Iatismo doou $30.000 aos distritos afetados, e várias embarcações dos membros deste Grupo estão ajudando na distribuição de kits de emergência.
  • Com a distribuição de 600 barracas e utensílios, a ShelterBox está ajudando mais de 4.000 famílias.

Leia o blog 

Rotary News

6-Dec-2013
RSS