Ex-bolsista Rotary pela Paz protege diplomatas americanos

Justin Peele, ex-Bolsista Rotary pela Paz e agente do Serviço de Segurança Diplomática dos Estados Unidos, durante um trabalho no qual protegeu o Secretário de Estado John Kerry em viagem à Coreia do Sul.
Foto: Courtesy of Justin Peele

Como agente do Serviço de Segurança Diplomática dos EUA, organização que opera em mais de 160 países, Justin Peele usa o que aprendeu como Bolsista Rotary pela Paz para lidar com as situações arriscadas e imprevisíveis de seu trabalho. Ele é um dos 2.000 agentes que protegem diplomatas e embaixadas dos Estados Unidos pelo mundo.  

"É o trabalho dos meus sonhos", afirma Peele, que estudou na Universidad del Salvador, na Argentina, em 2011-12. "Em minha posição, tenho que encarar conflitos de frente." 

Isso foi comprovado quando ele serviu como assistente do dirigente regional de segurança em Mali. Na época, o país estava dividido por conflitos políticos e violência, pois diversos grupos islâmicos se rebelaram contra o governo em busca de mais autonomia no norte do país. A crise levou a facções do exército, cujos membros não estavam satisfeitos com a decisão do governo de tirar o presidente Amadou Toumani Touré do poder, em 2012. Por causa do conflito, o Departamento de Estado dos EUA enviou seguranças extras para proteger a embaixada dos EUA em Bamako, capital de Mali.  

Certo dia, em 2013, um funcionário americano e quatro colegas malineses ficaram presos no Instituto Nacional de Saúde, no centro de Bamako, devido a confrontos violentos entre estudantes e a polícia. Quando a situação saiu do controle, oficiais da embaixada pediram a Peele que retirasse os funcionários do local em segurança. Seu desempenho, coragem e eficiência naquele dia lhe renderam um prêmio do Departamento de Estado dos EUA. 

Além de garantir a segurança de diplomatas em suas viagens, membros do Serviço de Segurança Diplomática trabalham com as autoridades do país anfitrião para investigar crimes contra cidadãos americanos, coordenar detalhes de proteção com as equipes de segurança de dignatários estrangeiros e manter frequente contato com membros da comunidade local.   

Outro exemplo do trabalho de Peele foi sua experiência como membro da equipe de segurança do Secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, durante missões diplomáticas que o levaram para China, Israel, Europa e Oriente Médio. 

Ele diz que seu trabalho é uma grande lição sobre governança, diplomacia e humanidade. "O mais importante é que tudo o que fazemos visa aliviar o sofrimento das pessoas", explica Peele. "Os Centros Rotary pela Paz e o trabalho do Rotary pelo mundo são exemplos perfeitos de como podemos alcançar esse objetivo." 

Saiba mais sobre as Bolsas Rotary pela Paz

Fale conosco

Siga os Centros Rotary no Facebook e LinkedIn

 

Rotary News

30-Jul-2014
RSS