Novo clube em Uganda vive as oportunidades e desafios de uma economia em expansão

Associados do Rotary Club de Nkumba, em Uganda, restauram poço e, com isso, aumentam em 40% o fornecimento de água.
Foto: Foto cedida por Michael Muriithi

Apesar de três anos de forte crescimento econômico e de uma classe média em expansão, a cidade ugandense de Entebbe ainda tem alto índice de pobreza, assistência médica precária e água de má qualidade.

Em 2010, as Nações Unidas abriram o Centro de Serviços Regionais em Entebbe para facilitar os aspectos logísticos nas missões feitas pela ONU na África Central. O avanço econômico veio para região, mas não chegou a todas as camadas sociais. Quando Michael Muriithi se mudou para Entebbe, há um ano, ele viu que um Rotary Club poderia ajudar muito.

Junto com o Rotary Club de Entebbe, Muriithi arquitetou a criação de um novo clube para tratar de alguns problemas no bairro de Nkumba, um dos maiores da cidade. Ele começou a recrutar associados no começo de 2013. "Convidei amigos e colegas para abrir um novo clube. Quando eles descobriam o impacto que poderíamos causar, não só quiseram se associar como também convidar as pessoas que conheciam a fazer o mesmo."

Após meses como clube provisório, em dezembro de 2013 o Rotary Club de Nkumba foi aberto oficialmente com 40 associados, tornando-se o 75° Rotary Club do país. "Somos basicamente um clube de jovens; os associados têm em média 35 anos", explica Muriithi, que é o presidente."

No começo do ano o clube levantou mais de US$2.000 para construir latrinas no Centro de Saúde de Kitala, que atende 600.000 pessoas. "Tínhamos que decidir entre pagar uma empresa para demolir a latrina antiga ou fazer o projeto de A a Z. Como prometemos que seríamos um clube com associados que colocariam a mão na massa, resolvemos fazer tudo, inclusive a demolição. O trabalho nos aproximou mais e projetou o Rotary localmente."

Eles construíram latrinas separadas para homens e mulheres, e outra para funcionários, com uma estimativa de que a fossa dure 20 anos. Além da construção das latrinas, os rotarianos doaram roupas e cobertores.

Os associados também financiaram a restauração de um poço, aumentando em 40% o fornecimento de água potável. Muriithi diz que o plano é abrir quatro poços d'água até o fim do ano. "Com a dedicação à qualidade que é típica do Rotary, eu sei que iremos longe."

Rotary News

20-May-2014
RSS