Mensagem do presidente

Ron D. Burton

Presidente, 2013-14

Abril de 2014

Ler revistas rotárias é essencial para o rotariano, tanto quanto comparecer às reuniões do clube. Todas as revistas rotárias cumprem o papel para o qual foram criadas: informar e inspirar seus leitores, trazendo notícias sobre o Rotary, ideias para projetos e histórias inspiradoras. Para mim, estas publicações representam de forma tangível o maior ponto forte do Rotary, de que cada clube é uma entidade local ao mesmo tempo em que faz parte de uma rede global.

Apesar do tamanho e diversidade da nossa organização, temos muitas coisas em comum que nos unem no Rotary. Não há uma fórmula mágica que se aplique a todos os casos e lugares, portanto, é natural que tenhamos expectativas culturais e linguísticas diferentes para uma revista. Graças às nossas publicações regionais, rotarianos de qualquer lugar ficam sabendo o que está acontecendo no Rotary em seu país e em outros lugares do mundo. Por fazerem parte da família de revistas do Rotary, cada publicação é totalmente local, mas contribui à nossa identidade internacional.

Um dos maiores privilégios de servir como presidente do RI é poder falar todos os meses diretamente a cada um dos nossos 1,2 milhão de rotarianos. Eu fico emocionado ao imaginar vocês lendo minha mensagem em casa ou no trabalho, e depois virando a página para saber as novidades do mundo rotário. Vocês não fazem isso porque sentem que é uma obrigação, mas sim, por causa da qualidade das nossas revistas rotárias. Espero que sintam o mesmo orgulho que eu quando leio nossas publicações.

As revistas rotárias nos lembram do motivo pelo qual nos associamos ao Rotary. Elas mostram o que podemos alcançar quando entramos em ação e como nossas contribuições à Fundação estão sendo usadas, e nos inspiram a Viver Rotary, Transformar Vidas.


Março de 2014

Nascido e criado aqui nos Estados Unidos, no Estado de Oklahoma, eu achava que todo mundo era como eu e sabia ler. Na minha escola, não apenas tínhamos que estar lendo bem aos sete ou oito anos de idade, como os professores nos faziam ler com o livro virado de cabeça para baixo. Cada um de nós tinha sua vez de ler em voz alta para toda a sala, e não era nada fácil ler algo de ponta cabeça e mostrar os desenhos nos livros. Mas depois de tanto ler desta forma, chegou um momento em que não importava mais a forma como segurávamos o livro.
Naquela época eu não dava importância a esta habilidade que desenvolvi na escola, até que alguns meses atrás, durante uma visita a um projeto rotário no Estado do Alabama, me pediram para ler um livro para uma turma de 30 alunos com idade média de seis anos. Eu me sentei e comecei a ler com o livro de ponta cabeça.
Eu repeti a rotina exatamente como fazia quando tinha a idade daquelas crianças. Mas como adulto, especialmente com a mente de rotariano, passei a ver isto de uma forma diferente. Eu estava lendo para um grupo de crianças de uma escola, onde os rotarianos vinham semanalmente ler para aquelas crianças que precisavam de reforço na leitura. Não havia nenhuma dúvida de que todos ali naquela sala aprenderiam a ler e escrever bem. Mas, certamente, aqueles alunos não entendiam a dádiva de estar na escola, de contar com adultos que liam para eles, mesmo que fosse para mostrar as imagens de um livro virado de ponta cabeça.
Infelizmente, esta não é a realidade de todo o mundo. Milhões de crianças não têm a mesma sorte. É por isso que fizemos da educação básica e alfabetização uma área de enfoque do Rotary. Conforme celebramos o Mês da Alfabetização no Rotary, lembremo-nos de que estamos dando um presente muito valioso às crianças quando contribuímos para que elas aprendam a ler e escrever, estejam elas perto de nós ou em um país distante.


Fevereiro de 2014

No mês de fevereiro, 109 anos atrás, Paul Harris e três amigos fundaram o primeiro Rotary Club. O objetivo era simples: criar um local propício para amizades entre pessoas que acreditavam nos mesmos valores.
Com o tempo, a filosofia do Rotary amadureceu e seus ideais passaram a englobar projetos humanitários, ética profissional e compreensão internacional. Com o crescimento do Rotary, Paul Harris imaginou um mundo em que os conflitos eventualmente desapareceriam graças aos contatos pessoais e à aceitação das diferenças alheias. Ele achava que se as pessoas se unissem em um espírito de amizade e tolerância, perceberiam o quanto tinham em comum.
Paul Harris teve a sorte de viver para ver o ideal rotário se propagar em dezenas de países. Toda semana, em 34.000 comunidades, sua visão perdura em cada reunião de Rotary Club. Mas em nenhum lugar do mundo essa visão é tão viva quanto durante a nossa Convenção anual.
No evento, por alguns dias, vemos o mundo imaginado por Paul Harris: homens e mulheres de diferentes nacionalidades, culturas e religiões unidos para promover a paz, ajudar o próximo e desfrutar de companheirismo. É uma experiência inesquecível pela qual Jetta e eu esperamos ansiosamente todos os anos. Cada Convenção é diferente, e todas se tornam uma memória que guardamos com carinho.
Este ano, terei o privilégio de presidir a 105ª Convenção do Rotary International em Sidney, de 1º a 4 de junho. A dinâmica cidade é a porta de entrada entre ocidente e oriente, e o local ideal para sediar a Convenção. Sidney é extremamente diversificada, de grande riqueza cultural e histórica, e uma das minhas cidades favoritas. Animada e tranquila ao mesmo tempo, é um lugar onde me sinto em casa e sempre encontro algo diferente para ver ou fazer.
Em 2014, junte-se a nós para celebrar nossos sucessos, fazer planos para o futuro e descobrir novas maneiras de Viver Rotary, Transformar Vidas.


Janeiro de 2014

Costumamos nos referir ao Rotary como uma grande família. Consideramos os participantes de programas e alumni como membros importantes da família rotária e ressaltamos a importância de ajudar crianças e famílias. Fazemos isso porque sabemos que em todas as famílias, a geração mais jovem é o futuro. E isso se aplica ao Rotary.

Sabemos que é essencial termos associados jovens em nosso quadro associativo e falamos muito sobre maneiras de recrutar jovens profissionais. Porém, talvez não estejamos falando o suficiente sobre a razão pela qual eles não permanecem no Rotary.

Muito jovens, como os ex-participantes de programas, associam-se ao Rotary. Mas quando começam a construir suas próprias famílias, muitos deixam a organização. Não é difícil entender o motivo: eles são jovens profissionais que já passam muito tempo longe de suas famílias. Eles amam e valorizam nossa organização, mas não vão colocá-la acima de seus cônjuges e filhos.

E nem devemos sempre esperar que eles façam isso. É por esta razão que é tão importante encontrarmos maneiras de engajar as famílias no Rotary. Seja através do planejamento de projetos que envolvam toda a família, oferecendo alguém para cuidar de suas crianças durante as reuniões ou maior flexibilidade quanto ao local e horário das reuniões, precisamos tornar os serviços rotários uma opção viável para quem tem filhos pequenos.

Quando as famílias são incluídas, demonstramos que elas não são um obstáculo às atividades rotárias. Em vez da mãe ou do pai saírem para atividades do Rotary e deixarem todo mundo em casa, o Rotary entra na agenda familiar. As crianças vão crescer vendo seus pais envolvidos na comunidade e também irão se envolver. Isso não é apenas uma coisa boa para a família, mas também para o Rotary Club, que cultivará uma nova geração de jovens ativos no servir.

Em todas as fases de nossas vidas e de nossas carreiras, o Rotary tem algo para nos oferecer - uma maneira de nos ajudar a fazer mais, doar mais e ser melhores. O Rotary é grande o suficiente para todos nós.


Dezembro de 2013

Em uma bela manhã de inverno, Paul Harris, fundador do Rotary, caminhava por uma rua em Chicago quando avistou crianças brincando na neve e deslizando morro abaixo. Naquele momento ele se lembrou da sua própria infância em New England e decidiu que, se um dia tivesse uma casa própria, ela seria no topo daquela colina em Longwood Drive.

Em 1912, o sonho de Paul Harris e sua esposa, Jean, tornou-se realidade. Eles compraram uma casa e a apelidaram de Comely Bank, nome da rua em que Jean havia crescido na Escócia.

O casal realizou reuniões rotárias e ofereceu recepções para visitantes ilustres durante muitos anos. Paul e Jean enfeitaram a casa com objetos que colecionaram durante suas viagens pelo mundo e plantaram árvores no quintal, que chamavam de "jardim da amizade". Depois que Paul faleceu, em 1947, Jean vendeu o imóvel e pouco depois voltou para a Escócia.

Em 2005, a Paul e Jean Harris Home Foundation comprou a casa para evitar que ela fosse demolida. Esta propriedade histórica foi salva graças aos esforços deste grupo e à ajuda dos Rotary Clubs de Chicago e Naperville, mas agora depende de nós conservá-la para a posteridade, convertendo-a em um lugar onde rotarianos possam comemorar o espírito de amizade e solidariedade do Rotary.

O Conselho Diretor do RI aprovou um empréstimo de US$500.000 para ajudar a Paul and Jean Harris Home Foundation restaurar este símbolo da história rotária. A meta do projeto é arrecadar US$5 milhões para completar as reformas necessárias e estabelecer um fundo de dotação através do qual o imóvel poderá operar como museu e local histórico.

Jetta, minha esposa, e eu estamos comprometidos com o projeto para conservar a casa, pois acreditamos que esta iniciativa merece nosso apoio. Assim, fizemos uma contribuição à Fundação Rotária para estabelecer um fundo de doações direcionadas que aceite contribuições de todos aqueles que, como nós, querem preservar a história da nossa organização.

Se você deseja fazer uma contribuição para este projeto, acesse www.rotary.org/daf e clique em "How to Contribute". Coloque "Paul Harris Home Preservation," como nome da conta à qual esta destinando sua contribuição e o número 474. Todas as contribuições são importantes, independente do valor, e há oportunidades de reconhecimento para doações maiores.

Juntos, vamos comemorar o legado de Paul Harris e garantir que sua casa esteja aberta para as futuras gerações de rotarianos.


Novembro de 2013

Cada um tem seus próprios motivos para se associar ao Rotary. Muitas vezes a razão pela qual uma pessoa decidiu se juntar não é a mesma pela qual ela decidiu ficar. Quando fui convidado para me associar ao Rotary, eu aceitei porque pensei que seria uma boa opção para me envolver mais em minha comunidade. Porém, o que mais me entusiasmou foi um recurso que nem sequer conhecia quando me associei: a Fundação Rotária.

Eu sabia que através do Rotary Club de Norman eu poderia fazer muitas coisas boas, mas através da Fundação eu teria a possibilidade de colaborar com clubes e distritos do mundo inteiro. Eu poderia ajudar na erradicação da pólio, e ter a certeza de que meu trabalho havia sido útil. Depois que você percebe isso, dá mais vontade de continuar.

Ao longo dos anos, tive a sorte de ver em primeira mão a incrível quantidade de trabalho da nossa Fundação, e quanto mais eu vejo, mais entusiasmado eu fico. Quando visitamos uma escola para órfãos da aids e vemos que eles estão recebendo cuidados e educação, nos damos conta de que se não fosse pela Fundação elas estariam dormindo na rua, se alimentando de lixo. Com isso, aprendemos a valorizar nossa Fundação ainda mais.

Estamos vivendo um dos anos mais emocionantes da história da Fundação Rotária. Lançamos o novo modelo de subsídios, que irá desafiar e inspirar todos a pensar grande e implementar projetos mais ambiciosos com impacto mais duradouro. Aceitamos um novo desafio da Fundação Bill e Melinda Gates, que se comprometeu a equiparar na proporção de 2 para 1 cada dólar que o Rotary contribuir para a erradicação da pólio nos próximos 5 anos, até US$35 milhões por ano. Além disso, estamos vencendo as últimas batalhas da guerra contra a pólio – uma guerra que temos, e iremos vencer.

A Fundação veio para Fazer o Bem no Mundo. Agora que contamos com um novo modelo de subsídios, não estamos satisfeitos apenas em fazer o bem, e sim, fazer o melhor que pudermos e da maneira mais duradoura possível.


Outubro de 2013

No Rotary, outubro é o mês em que celebramos a Avenida de Serviços Profissionais. Embora alguns rotarianos se refiram a ela como uma área "esquecida", eu discordo. Na verdade, a Avenida de Serviços Profissionais é uma área na qual trabalhamos frequentemente, apesar de nem sempre nos darmos conta disso.

Os Serviços Profissionais têm sua origem no segundo Objetivo do Rotary, que incentiva os rotarianos a promoverem altos padrões éticos em suas vidas públicas e privadas, reconhecerem o valor de todas as ocupações úteis e enxergarem seu trabalho como uma oportunidade de servir à sociedade.

O conceito de Serviços Profissionais significa que nossos trabalhos devem ser vistos como uma maneira de ajudar o próximo. Seja atendendo aos nossos clientes, ensinando alunos, cuidando de pacientes, trabalhando na área de comércio, pesquisa, mídia ou qualquer um dos inúmeros campos de atuação, nós nos orgulhamos do trabalho que realizamos com competência e integridade. Toda ocupação atende a uma necessidade e, ao desempenhá-la, nós contribuímos para o mundo ao nosso redor.

O papel dos Serviços Profissionais nos clubes é importante, mesmo que não seja sempre proeminente. Ao mantermos altos padrões individualmente, nós ganhamos uma reputação que é compartilhada coletivamente. Ao valorizarmos todas as profissões igualmente e preservarmos o sistema de classificações nos clubes, garantimos que estes representem suas comunidades e possam lhes servir bem. Um Rotary Club só de advogados não seria capaz de fazer o mesmo que um clube de professores, engenheiros, empresários e dentistas. No Rotary, nossa força está na diversidade. E esta diversidade é uma vantagem não apenas para nossos projetos, mas para nossos associados, pois através dela fazemos contatos e encontramos oportunidades que nos ajudam em nossas próprias carreiras.

Este aspecto do quadro associativo é tão antigo quanto o Rotary. O próprio Paul Harris escrevia frequentemente sobre as vantagens profissionais que a associação ao Rotary lhe trazia, acreditando, assim como eu, que ser rotariano significa acreditar em valores que o tornam um profissional com quem as pessoas querem fazer negócios. Atualmente, com o mundo mais conectado do que nunca, devemos compartilhar com os outros o orgulho que sentimos por fazer parte desta organização.


Setembro de 2013

Paul Harris escreveu: “Este é um mundo em constante mutação e devemos estar preparados para mudar com ele. A história do Rotary deverá ser reescrita muitas e muitas vezes”. Enquanto nunca saberemos o que o rotariano Paul teria pensado sobre a era da internet, acho que sei o que ele teria dito sobre a ideia do website do Rotary: que não só devemos ter um, mas que este deveria ser o melhor possível, em dia com os avanços da tecnologia e sempre atendendo às necessidades dos rotarianos.

Tenho muito orgulho em anunciar que, depois de uma reformulação que levou dois anos desde sua concepção até sua conclusão, o novo site Rotary.org já está em funcionamento e disponível para uso de rotarianos e usuários da internet do mundo todo. O site contém muitas das características requisitadas, como uma melhor ferramenta de busca, novas maneiras de se comunicar com rotarianos de todo o mundo e uma experiência personalizada que irá conectá-lo com informações de seu interesse.

O novo website do Rotary na verdade serão dois websites: um para a família rotária e outro para pessoas interessadas em saber mais sobre a organização. Quando você cria uma conta e faz seu login como membro, terá acesso a uma série de novas ferramentas rotárias. Uma que espero que todos usem é o Rotary Club Central, uma maneira eficiente para que clubes definam suas metas, acompanhem seus progressos e mantenham continuidade entre uma administração e outra. Você também pode criar ou participar de um grupo do Rotary, que é um fórum de discussão interativo que proporciona maneiras de encontrar e conversar com rotarianos que tenham os mesmos interesses. Você pode trocar ideias e experiências, e se beneficiar das experiências de pessoas do mundo todo, a qualquer hora do dia. Esta é uma ferramenta com grande potencial para melhorar nosso serviço, permitindo que possamos aprender com outros já envolvidos em projetos semelhantes aos que estamos planejando.

Para os não rotarianos, o site irá mostrar o que o Rotary é e faz, destacando a singularidade da organização e como os Rotary Clubs fortalecem suas comunidades. Eles poderão ver um panorama de diferentes projetos rotários e áreas de serviço, saber mais sobre o funcionamento do Rotary e explorar maneiras de se envolver.

Estou muito entusiasmado com esta nova etapa e gostaria de convidá-lo para visitar, explorar e aprender mais sobre este site – enquanto, juntos, reescrevemos a história do Rotary muitas e muitas vezes.


Agosto de 2013

Em 2013-14 Viveremos Rotary, Transformaremos Vidas, convertendo nosso vasto potencial em realidade. Isto pode ser alcançado pelo envolvimento dos rotarianos e a conscientização de que eles pertencem a uma organização única e capaz de mudar o mundo. 

Cabe a nós garantir que nosso trabalho seja sólido e sustentável, com o alcance da meta de 1,3 milhão de rotarianos até 2015. Esta é uma meta diferente das anteriores, pois não trata somente de trazer novos associados aos clubes, mas, sim, motivar os rotarianos a se envolverem mais com a organização e permanecerem engajados, o que se traduz em crescimento do nosso Rotary agora e no futuro.

Cada um de nós teve sua razão para vir ao Rotary, mas certamente todos viemos para fazer a diferença, algo significativo. É importante lembrarmos disto quando falamos a outros para se juntarem a nós. 

Não quero dizer que devemos convidar qualquer pessoa para nossas fileiras. Queremos, sim, gente motivada e bem sucedida que se importe com os outros. Precisamos do tempo e talento de gente assim, e estas pessoas só virão e ficarão nos clubes se tiverem certeza de que seu tempo é bem empregado em atividades rotárias. 

Temos que nos certificar de que todo rotariano, em todo clube, exerça uma função relevante, que faça uma diferença substancial no clube e na comunidade. Só quando fazemos algo relevante no Rotary é que o Rotary se torna importante para nós. 

Em qualquer estágio de nossas vidas e carreiras o Rotary tem algo a nos dar, que nos faz crescer em conhecimento, competência e generosidade. O Rotary injeta significado em nossas vidas, aumentando nosso senso de propósito e trazendo satisfação. E quanto mais ofertamos através do Rotary, mais ele nos dá em recompensas. 


Julho de 2013

Prezados Rotarianos,

Este é um momento extremamente emocionante para ser rotariano. Estamos na reta final da luta contra a pólio e, embora este tenha sido um caminho longo e difícil, aprendemos valiosas lições. Aprendemos que, em grupo, podemos mover montanhas, mudar a vida das pessoas para melhor e fazer a diferença no mundo. Talvez a maior lição aprendida tenha sido que quanto mais desafiamos a nós mesmos, mais podemos alcançar.

Estamos começando um novo capítulo na história de nossa Fundação Rotária. Temos o privilégio de lançar uma nova estrutura de subsídios: o Visão de Futuro, que aumentará nossa eficácia. 

Temos que reconhecer, de uma vez por todas, que o nosso maior desafio não é trazer novos associados ao Rotary, mas, sim, transformar todos os associados em verdadeiros rotarianos. É hora de ajudarmos os associados a participarem 100% em Rotary, fazendo com que percebam seu verdadeiro potencial e como podem mudar vidas. Precisamos garantir que cada rotariano contribua ativamente, porque quando fazemos a diferença através do Rotary, ele assume um significado mais especial para nós. 

Quando nos damos conta do que podemos conquistar através do Rotary – quando realmente vivemos Rotary – nós transformamos vidas. Mudamos a vida de pessoas que precisam de nós e, ao longo do caminho, nossas vidas também se transformam. Por isso, nosso Lema de 2013-14 é: Viver Rotary, Transformar Vidas.

Abramos os olhos para nosso potencial em Rotary. Através do Rotary podemos nos superar e fazer parte de algo maior que nós mesmos. Recebemos mais em troca do que damos. Em 2013-14, vamos dar tudo de nós. Tudo depende de nós. E podemos fazer isso se nos comprometermos aos serviços rotários, se participarmos, se nos mantivermos inspirados e lembrarmos todos os dias do presente que temos em Rotary. Se trabalharmos juntos, tudo é possível. Juntos, iremos Viver Rotary, Transformar Vidas.