Skip to main content

Bill Gates fala sobre a reta final para acabar com a pólio

Skip to main content

Um dos principais oradores da nossa Convenção fala sobre a luta histórica contra a doença e os desafios que ainda restam para chegarmos em zero casos de poliomielite

Por

Bill Gates, em discurso no dia 12 de junho na Convenção Internacional do Rotary, falou sobre o extraordinário progresso rumo a um mundo sem a paralisia infantil e também ressaltou alguns dos desafios ainda presentes.

Durante sua fala, no Georgia World Congress Center em Atlanta, EUA, Gates relembrou à plateia de mais de 22.000 pessoas que os esforços precisam continuar e serem reforçados para que o número de casos de pólio chegue a zero. Cada participante recebeu uma pulseira de LED para a ocasião.

"Este é o maior esforço já realizado em termos de saúde pública em todo o mundo", disse Gates, copresidente da Fundação Bill e Melinda Gates, sobre a Iniciativa Global de Combate à Pólio (GPEI).

Conforme Gates falava sobre cada conquista na trajetória da erradicação, incluindo os países e regiões do mundo que foram declarados livre da pólio, partes da plateia tinham sua pulseira ativada, fazendo com que todos os presentes fizessem parte da apresentação.

Gates agradeceu ao Rotary por seu posicionamento visionário e crucial no combate à pólio. "O Rotary propiciou este esforço global com o senso de propósito de seus associados, fazendo-nos acreditar que tudo é possível quando nos comprometemos com uma causa", disse ele.

Desde o lançamento da GPEI, os casos de paralisia infantil caíram 99,9%, passando de 350.000 por ano para somente cinco em 2017, o número mais baixo já registrado até hoje no mesmo período. O vírus ainda existe em apenas três países: Afeganistão, Nigéria e Paquistão.

Gates também mencionou que mais de 16 milhões de pessoas poderiam ter ficado paralíticas em decorrência da poliomielite se este trabalho não tivéssemos nos dedicado a combater a doença.

"A escala deste esforço é fenomenal. A luta contra a pólio é minha principal preocupação. Todos os dias checo meu e-mail para ver se temos algum novo caso", disse Gates. "Estou muito contente de fazer parte desta iniciativa."

"É a capacidade de ter novas ideias, aprender lições e se adaptar a novas circunstâncias que me faz otimista quanto ao fim da pólio", disse Bill Gates na Convenção Internacional do Rotary em Atlanta.

John Cena, estrela da WWE, ator e embaixador do Rotary na campanha contra a paralisia infantil, também marcou presença no palco e aplaudiu o Rotary pela determinação dos rotarianos para a conquista de um mundo sem pólio dizendo: "Vocês são os desbravadores deste caminho, que estão provando ao mundo que mesmo um desafio tão colossal como esse pode ser vencido". 

Pouco antes, líderes e governantes de todo o mundo se uniram a Gates e Rotary no comprometimento a doar mais fundos para o alcance do US$1,5 bilhão necessário para a erradicação, de acordo com estimativas da GPEI.

O Rotary anunciou também que aumentará sua meta de arrecadação anual para US$50 milhões. Desde que a Fundação Gates e o Rotary iniciaram sua parceria, as duas organizações já arrecadaram aproximadamente US$1,5 bilhão para a erradicação da pólio.

Gates, que descreveu o combate à pólio como seu objetivo mais importante na última década, admite que há ainda muitos desafios pela frente, principalmente nas áreas de conflito onde a doença ainda é endêmica. "Nosso maior desafio é chegar até todas as crianças que precisam da vacina," disse ele. "O que, claro, é ainda mais difícil em áreas de conflito."

Mas Gates também mencionou que o Afeganistão, que apresenta problemas de segurança, está quase livre do vírus. "Conseguimos este resultado pois fomos capazes de mostrar que livrar o mundo da pólio é mais importante do que qualquer diferença religiosa, política ou social."

Com o menor número de casos já visto, o trabalho de acompanhamento e detecção do vírus se torna ainda mais difícil. "Para eliminarmos o vírus de uma vez, precisamos saber onde ele se esconde," disse Gates.

  • 1994.00

    Américas certificadas como livres da pólio

  • 2000.00

    Pacífico Ocidental certificado como livre da pólio

  • 2002.00

    Europa certificada como livre da pólio

  • 2017.00

    tivemos um progresso gigantesco: somente cinco casos ocorreram nos países endêmicos, que são Paquistão, Nigéria e Afeganistão

Anualmente, uma rede mundial de 146 laboratórios testa cerca de 200.000 amostras de fezes em busca do vírus da pólio. Felizmente, o resultado de 99,9% é negativo. Aquele pequeno percentual de testes positivos ajuda os agentes da saúde a definir onde concentrar as atividades de imunização para evitar o alastramento do vírus. Nos países onde o vírus permanece endêmico, 125 postos de detecção ambiental testam amostras de esgostos, muitos deles a céu aberto. Estes postos têm que ser locais, já que o vírus não dura muito tempo no esgoto. 

As inovações trazidas pelo trabalho de erradicação da pólio produzirão benefícios imensos e abrangentes para outras iniciativas globais da saúde. Técnicas usadas no combate à pólio, como mapeamento de comunidades, vigilância e expansão do papel dos agentes da saúde auxiliarão as autoridades a detectar e cercear outras doenças infecciosas, como o ebola. 

“É isso que tornar o trabalho de praticamente 30 anos do Rotary tão incrível”, enfatizou Gates. “Vocês não estão somente erradicando uma das mais nefastas doenças. Vocês estão ajudando os países mais pobres a fornecer melhores condições de saúde e possibilidades de futuro a seus cidadãos.”

Veja as últimas da Convenção Internacional

Blog Vídeos Cobertura completa