Archie Panjabi dá tudo de si pela erradicação da pólio

Atriz e ganhadora do Emmy, Archie Panjabi fala de sua dedicação à campanha do Rotary de combate à paralisia infantil.

A atriz Archie Panjabi é uma das celebridades que participam da nossa campanha Falta Só Isto, e este ano ela visitou Nova Delhi para vacinar crianças contra a poliomielite. Panjabi é uma das estrelas do seriado americano "The Good Wife" e já atuou em filmes como Driblando o Destino, O Preço da Coragem e O Jardineiro Fiel. Ela compartilhou sua história com os associados do Rotary durante a Convenção Internacional do RI de 2013, em Lisboa, Portugal. E foi lá que conversamos com ela. Assista o vídeo

The Rotarian: Como você escolhe as causas que apoia?

Archie Panjabi: Eu tenho que me identificar com elas, pois quando começo um projeto, é tudo ou nada. Eu sei que vou me dedicar totalmente. Foi o caso da campanha contra a pólio, cuja conexão vem dos meus laços com a Índia. 

Você cresceu em Londres, mas morou em Mumbai quando criança. No início deste ano, você voltou à Índia para participar de um evento de imunização contra a pólio. Como isso a afetou?

Panjabi: Foi muito mais emocional do que eu pensava. Fiquei impressionada com a organização, a vigilância e o monitoramento das crianças. Fiquei admirada com a paixão com que as mulheres mantêm os registros atualizados e sua determinação para encontrar todas as crianças. É difícil entender como eles conseguem fazer esse trabalho se pensarmos no quão superpovoada e diversificada a Índia é. Ver as longas filas formadas por mães esperando para que seus filhos sejam vacinados foi uma grande surpresa. Esta realidade é muito diferente da realidade do meu ramo de trabalho. Fazer algo desse tipo nos faz enxergar tudo com outros olhos. 

Quais as qualidades necessárias para uma pessoa que quer ajudar o próximo?

Panjabi: Todo ser humano, uma vez que tenha satisfeito todas as suas necessidades básicas, deveria fazer algo pelo próximo. Não acho que seja necessária nenhuma qualidade especial. Fazer alguma coisa é responsabilidade de todos. E não é simplesmente fazer uma doação, mas fazer algo pela sua alma.  

Você acha que os jovens de hoje pensam sobre a poliomielite?

Panjabi: Muitos jovens nem sabem o que é pólio e não percebem o que pode acontecer se não nos livrarmos dela. Pode ser que este seja um problema das gerações passadas, mas esta não é uma doença do passado. É uma doença que você só não está contraindo graças ao trabalho que tem sido realizado.  
Esta campanha é histórica, e não apenas do ponto de vista da erradicação da pólio. Nós criamos uma infraestrutura para lidar com muitos outros problemas de saúde e doenças. Por isso, é importante que as pessoas divulguem nosso trabalho. 

Olhando para sua trajetória e seu relacionamento com o Rotary, parece que vocês foram feitos um para o outro. 

Panjabi: É como um casamento perfeito. Minha mãe me incentivou a ir para a universidade, onde estudei administração de empresas. Também fiz meu doutorado na mesma universidade. Eu acho que estou fazendo o que a maioria dos rotarianos fazem. Eu uso minhas habilidades profissionais para defender e promover uma causa. 

Qual a sua opinião sobre o Rotary?

Panjabi: Estou impressionada. Eu sinto que no Rotary você pode ser empreendedor e dar suas ideias. As pessoas aqui são muito inteligentes. Minha experiência como Rotary tem sido flexível e perfeita para mim. 

Você tem alguma mensagem que gostaria de dar aos rotarianos?

Panjabi: Olhem para trás e vejam o que o Rotary já fez, pois é realmente fenomenal. Às vezes é importante lembrar as pessoas de tudo o que elas conseguiram, e que sem este trabalho poderíamos estar em uma situação completamente diferente. Eu também gostaria de dizer aos rotarianos que eu estou comprometida com esta causa e quero fazer parte deste projeto.  

Há outras áreas do Rotary que lhe interessam?

Panjabi: Eu trabalhei um pouco com a Anistia Internacional em sua campanha de violência contra a mulher. Eu estou definitivamente interessada em ajudar crianças e mulheres. A Angelina Jolie tem sido uma grande influência para mim. Eu trabalhei com ela no filme O Preço da Coragem, em 2007.    

De que maneira ela te influenciou?

Panjabi: Ela se envolve completamente. Quando falei com ela sobre a ideia de trabalhar com instituições de caridade, ela me aconselhou a colocar a mão na massa, e não apenas usar meu nome, e a construir um relacionamento e fazer a diferença.

Como você consegue encontrar tempo para fazer tudo isso?

Panjabi: Não é fácil, mas o seriado está em sua quinta temporada e agora já sei administrar meus compromissos melhor. Tive que trabalhar muito nos primeiros anos. Eu gosto de fazer algo além do seriado.  

Adaptação de uma matéria da edição de novembro de 2013 da The Rotarian

24-Oct-2013
RSS