Bolsista une clubes em projetos

Isis Mejias Carpio, beneficiária de bolsa de estudos do Rotary, com crianças no Quênia.
Foto: Foto cedida por Isis Mejias Carpio

Em um hospital municipal de Cubatão, um aparelho de mamografia financiado por Subsídio Global reduziu drasticamente o tempo de espera para se fazer o diagnóstico do câncer de mama. Um Subsídio Global também financiou o treinamento de profissionais da área da saúde e campanhas de conscientização sobre o câncer na região. Estes projetos aconteceram, em grande parte, porque Isis Mejias Carpio, que estudou na Universidade de São Paulo com uma bolsa do Rotary, aproximou os Rotary Clubs de Cubatão e de Humble Intercontinental (EUA).

Depois que este projeto com o Brasil foi concluído, o mentor de Isis no clube americano, Bill Davis, contou a ela sobre a oportunidade de outro projeto na área da saúde, desta vez na África. A Universidade de Baylor, no Texas, havia firmado parceria com o governo de Botsuana em prol do centro Botswana-Baylor Children's Center of Excellence, que fornece tratamento pediátrico gratuito e suporte a crianças e jovens afetados pela aids. Como o centro não tinha condições de atender ao número crescente de adolescentes com HIV, Bill concluiu que um Subsídio Global poderia financiar um centro menor, especialmente para crianças e jovens. O objetivo era ter um lugar para orientar as pessoas e tirar o estigma que ainda envolve a doença.

Para materializar o projeto em Botsuana, Bill Davis perguntou a Isis se os seus amigos do Brasil gostariam de colaborar na iniciativa.

O subsídio para o projeto do centro de saúde de Botsuana é mais um benefício trazido pela experiência de Isis com o Rotary, que começou quando ela conheceu Bill Davis, em 2011. Na época, como voluntária da organização Engenheiros Sem Fronteiras de Houston, Isis estava buscando ajuda para um projeto de fornecimento de água potável no Quênia quando soube que o Rotary Club apoiava projetos da Engenheiros Sem Fronteiras.

"Gostei da ideia de ajudar o Quênia", lembra Bill, mencionando que Isis tinha ido duas vezes à nação africana para ver o projeto, que já contava com um médico de San Diego cuja esposa é rotariana. "Nosso clube decidiu ser o principal parceiro internacional e trouxe outros clubes para a iniciativa."

Isis disse a Bill que estava colaborando com uma equipe da Universidade de Houston na criação de um filtro para remover metais pesados da água. Ele, por sua vez, contou a ela sobre uma bolsa de estudos do Rotary que poderia lhe interessar. "Resolvi me informar sobre a bolsa, e vi que seria ótimo estudar mais sobre tratamento hídrico. Foi assim que iniciei minha excelente experiência com o Rotary."

Recentemente, Isis foi selecionada pela Fundação Rotária para liderar uma equipe de engenheiros em viagem a Uganda para verificar a viabilidade de projetos hídricos na região.

Fale com um clube sobre oportunidades de bolsas
Crie uma bolsa
Saiba mais sobre Subsídios Globais

Rotary News

22-Jul-2014
RSS