Rotariano deixa carreira musical para prestar socorros em casos de desastres

Em 11 de setembro de 2001, Todd Shea estava entre as pessoas que correram para o ground zero em Manhattan, EUA. Todd, que é cantor e compositor, tinha um contrato com  uma gravadora e deveria estar se preparando para um show na CBGB, uma das casas de espetáculos mais conhecidas em Nova York. Em vez disto, ele estava levando suprimentos aos trabalhadores prestando primeiros socorros às vítimas do grande desastre.

Após cinco dias excruciantes no meio dos escombros das Torres Gêmeas, Todd decidiu deixar sua carreira musical para dedicar sua vida à prestação de socorros em casos de desastres. 

"O que aconteceu em Nova York abriu meus olhos para o sofrimento que pessoas em todo o mundo passam todos os dias", disse Todd. "Decidi que queria ser parte da solução, e não do problema."

Nestes últimos 13 anos, Todd, com 47 anos de idade, tem estado no epicentro de outros desastres, como o tsunami no sul da Ásia em 2004, o furacão Katrina nos EUA e o terremoto em Kashmir em 2005, o terremoto no Haiti e enchentes no Paquistão em 2010, o terremoto e tsunami no Japão em 2011, e o tufão nas Filipinas em 2013.

Todd aprendeu muito sobre prestação de socorros em casos de desastres. "Grandes esforços levam tempo para serem organizados" diz ele. "Os profissionais treinados para prestar socorros, como médicos e bombeiros, têm mais tempo para desempenharem seu trabalho quando não precisam se preocupar com alimentos, água e suprimentos."

Depois do terremoto no Paquistão em 2005, Todd decidiu ficar na área mesmo depois que muitas organizações foram embora. Ele fundou a Comprehensive Disaster Response Services (CDRS), organização que fornece atendimento médico a áreas com pouco acesso a estes serviços. As instalações da CDRS contam com consultório odontológico, centro de vacinação, maternidade, farmácia, laboratório e ambulância. Além disso, a organização tem uma equipe que fornece primeiros socorros, logística e apoio em casos de desastres. Todd passa nove meses por ano no Paquistão. 

Em 2009, Todd ajudou a fundar Sustainable Healthcare Initiatives Now Empowering Humanity, iniciativas baseadas nos EUA que promovem auxílio para desastres internacionais e cuidados médicos em países em desenvolvimento.

Todd e o Rotary

Durante o furacão Katrina em Nova Orleans, EUA, Todd conheceu Jim Kushner, ex-presidente do Rotary Club de Inwood, EUA, e juntos eles coordenaram esforços para salvar animais, entregar balsas de borracha e ajudar o serviço militar na busca e socorro de vítimas. Desde então, eles juntaram suas forças, prestando socorros em todos os grandes desastres.

Em agosto, Todd se associou ao Rotary Club de Inwood.

"Se você realmente quiser fazer uma diferença no mundo, junte-se a um Rotary Club. Não há outra organização melhor do que a nossa para isto", diz ele.

Tocando violão por uma causa

Todd não deixou de lado sua paixão pela música. Além de lançar uma colaboração musical e cultural com músicos paquistaneses e americanos chamada Sonic Peacemakers, ele organiza e toca seu violão em shows para arrecadar fundos e promover auxílio a crianças vulneráveis do Paquistão.

Todd continua trabalhando em ritmo acelerado e diz que esta é a única forma pela qual ele consegue fazer uma diferença. "Estou apenas tentando fazer minha parte para ajudar a transformar indiferença, intolerância e rancor em amor, bondade e compaixão."

Rotary News

23-Apr-2014
RSS