Vamos falar sobre banheiros?

Jack Sim, founder of the World Toilet Organization, has used humor to draw attention to sanitation issues. The United Nations voted to make World Toilet Day, 19 November, an official UN observance.
Foto: Alyce Henson/Rotary International

Aos 40 anos de idade, Jack Sim já era um empresário bem sucedido e dono de 16 empresas. Como ele já tinha dinheiro suficiente para se aposentar, ele começou a procurar algo em que ele pudesse investir seu tempo e esforços.

Percebendo que ninguém realmente queria falar sobre o vaso sanitário, ele decidiu fazer deste um queridinho da mídia, fundando em 2011, a World Toilet Organization e dedicando um dia especial todos os anos para chamar a atenção das pessoas para o saneamento. Este ano, a Organização das Nações Unidas declarou oficialmente 19 de novembro como o Dia Mundial dos Banheiros.

Jack reconhece o apoio do Rotary para ajudar a quebrar o tabu sobre o assunto. Em outubro, a sua organização homenageou Ron Denham, presidente do Grupo Rotarianos em Ação pelos Recursos Hídricos e Saneamento e o Rotary, por seus esforços para mudar o comportamento das pessoas e melhorar o saneamento.

"É muito bom ver o Rotary sendo reconhecido por seu impacto em países em desenvolvimento", disse Denham. "Porém, este reconhecimento também é um chamado à ação. Nenhum progresso foi feito em relação aos Objetivos do Milênio da ONU para aumentar o acesso ao saneamento básico. Como rotarianos, devemos mudar nosso foco: de recursos hídricos para recursos hídricos e saneamento."

Nós conversamos com Sim, também conhecido como "Sr. Banheiro", no Encontro Mundial da Água do Grupo Rotarianos em Ação, em Lisboa , Portugal.

The Rotarian: Você usa o humor para abordar esta questão. Como você teve esta ideia?

Jack Sim: Quando você faz as pessoas rirem, elas te escutam. Vi uma pessoa que fez isso muito bem: o Sr. Camisinha da Tailândia. Ele promoveu a camisinha fazendo as pessoas rirem, então, decidi fazer o mesmo. 

Todos nós temos uma história sobre banheiros para contar, seja viajando ou com nossos filhos. Você tem apenas que deixar a conversa fluir naturalmente, e todo mundo vai começar a falar sobre o assunto. 

O que os rotarianos podem fazer para que as pessoas falem mais sobre saneamento?

Sim: Todo rotariano deveria saber que, há cem anos, um dos primeiros projetos do Rotary foi a construção de um banheiro público. Hoje em dia, 85% dos projetos na área de recursos hídricos e saneamento são focados em água. Porém, é impossível ter água limpa se as pessoas continuam defecando nos rios. É impossível proporcionar melhor qualidade de vida se, por falta de saneamento, as pessoas continuam a ficar doentes. A falta de saneamento também expõe as mulheres a estupro e assédio, pois as obriga a fazer suas necessidades no mato e força meninas a largarem a escola uma vez por mês, pois elas não têm lugar para trocar seus absorventes.  

Você e muitas outras pessoas falam sobre abordar o saneamento através da mudança de comportamento e o incentivo para que as pessoas utilizem os sanitários. O que o Rotary deve fazer de forma diferente para promover o saneamento?

Sim: A melhor maneira de se fazer isto é fazendo com que os banheiros sejam "sexy", um símbolo de status, assim como o celular. Até mesmo crianças de favelas possuem celulares, mas não têm banheiros. 

Uma solução baseada no mercado é o modelo mais sustentável. Em vez de apenas colocar vasos sanitários nas ruas e esperar que as pessoas os usem, é preciso investir esse dinheiro na formação de pessoas para montar uma fábrica de vasos sanitários e treinar mulheres locais para vendê-los. Com isso, você gera empregos e oferece saneamento adequado. Mesmo depois que os fundos do investimento forem esgotados, o negócio continuará a crescer.

 

Adaptação de uma história da edição de novembro de 2013 da revista The Rotarian

6-Nov-2013
RSS