Fundação Gates e Rotary juntos para acabar com a pólio

Jeff Raikes, chief executive officer of the Bill & Melinda Gates Foundation, addresses Rotarians during the third plenary session Tuesday via a prerecorded video message.
Foto: Monika Lozinska

A Convenção do Rotary International em Lisboa foi o palco para o anúncio de um novo capítulo da parceria Rotary-Fundação Bill e Melinda Gates.

“A partir de agora a Fundação Gates fará equiparação de 2:1, até um máximo de US$35 milhões por ano, para cada dólar que o Rotary destinar ao fechamento da lacuna de financiamento para completar a erradicação da pólio até 2018”, disse Jeff Raikes, CEO da Fundação Gates, durante a sessão plenária de 25 de junho em vídeo pré-gravado. “Isto significa que podemos chegar a mais de $500 milhões com as doações do Rotary e a nossa equiparação.”

O anúncio não poderia ter ocorrido em hora mais propícia para a Iniciativa Global de Erradicação da Pólio. O custo estimado do plano estratégico 2013-18 para o fim da pólio é $5,5 bilhões. Os termos de compromisso anunciados na Cúpula de Vacinação Global em abril totalizam $4 bilhões. Se a lacuna de financiamento de $1,5 não for fechada, as atividades de imunização em países afetados pelo vírus cairão. Isto sem contar que se a poliomielite voltar, mais de 200.000 crianças no mundo todo ficarão paralíticas anualmente dentro de uma década. Mas isto não se transformará em realidade se depender do Rotary e da Fundação Gates.

“Nós combinaremos o poder de networking do Rotary com os nossos recursos e, junto com os demais parceiros da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio, daremos fim a uma doença e mudaremos a saúde pública para sempre”, afirmou Raikes.

Em 2007 a Fundação Gates fez uma doação-desafio ao Rotary de $100 milhões, a qual aumentou para $355 milhões em 2009. O Rotary concordou levantar $200 milhões para equiparar parcialmente a doação até 30 de junho de 2012, e o total chegou a $228,7 milhões.

A atriz Archie Panjabi, embaixadora do Rotary para a erradicação da pólio, falou sobre os dois anos que passou na Índia durante sua infância, lembrando das crianças que tinham que se rastejar pelas ruas por não terem uso das pernas. Esta lembrança sempre a atormentou. Quando foi convidada em 2011 para participar da campanha “Falta Só Isto” do Rotary, ela viu nisto uma excelente forma de contribuir para a luta contra a doença.

John Germ, vice-chair da Comissão Internacional Pólio Plus, pediu para os rotarianos motivarem seus amigos e conhecidos de fora do Rotary a doarem à causa. Ele apresentou o rotariano da Nigéria, Sir Emeka Offor, que doará US$1 milhão ao Pólio Plus. Em workshop do dia anterior, o nigeriano mencionou que sua origem humilde o motiva a doar. “Espero que meu exemplo seja seguido e a Nigéria fique livre desta moléstia em breve.”

O chair do Conselho de Curadores da Fundação Rotária, Wilfrid Wilkinson, falou dos excelentes trabalhos da entidade e mencionou a decisão de outorgar subsídios para trabalhos voluntários tomada na década de 60 pelos líderes do Rotary de então.

“Graças àquela decisão todos nós podemos nos orgulhar destes 50 anos de transformações que operamos no mundo através da Fundação, e podemos já aguardar ansiosos o que está por vir, um mundo sem pólio”, disse Wilkinson.

O coreano Dong Kurn Lee, que substituirá Wilkison à frente do Conselho de Curadores, anunciou quatro metas da Fundação para 2013-14, começando com a erradicação da paralisia infantil.

“Na Coreia dizemos que depois da tempestade vem calmaria e felicidade. Nossa cruzada contra a paralisia infantil não tem sido fácil, mas quando obtivermos o certificado de erradicação teremos conquistado algo maravilhoso. Por isso a erradicação da pólio é a meta número um da Fundação.”

Rotary News 

25-Jun-2013
RSS