Espontaneidade na geração de ideias

Todas as quintas-feiras, associados do Rotary Club de San Luis Obispo, EUA, se reúnem na tabacaria de um dos fundadores do clube para um encontro informal.
Foto: Foto de Kim Lisagor

O cofundador da Apple, Steve Jobs, disse que a criatividade resulta de encontros espontâneos e discussões improvisadas. "Você encontra alguém, pergunta como vão as coisas e não demora para as ideias surgirem."  

As reuniões de Rotary Clubs são muitas vezes estruturadas para serem eficientes. É normal acontecer certa quantidade de conversas informais, mas na maioria das vezes elas terminam quando a reunião se inicia. Porém, é sempre possível interagir para gerar grandes ideias. 

Em reuniões de clube

O local das reuniões de seu clube pode fazer uma grande diferença. O Rotary Club de Newcastle Enterprise, Austrália, organizava suas mesas em formato "U" para que todos pudessem ver o orador, mas a conversação entre os associados era limitada. "Algumas pessoas sempre se sentavam ao lado de um amigo e apenas conversavam entre si", disse a presidente do clube Julia Brougham. O clube então decidiu usar pequenas mesas redondas, onde seis pessoas podem conversar ao mesmo tempo. 

O Rotary Club de Lawrenceburg, EUA, possui uma sala privada em um parque local. "Nossas reuniões são tipicamente animadas, até mesmo tumultuadas. As pessoas se expressam mais livremente aqui do que em um lugar público", disse Bill Phillips. 

On-line

Embora não pareça óbvio à primeira vista, a comunicação via e-mail ou através das redes sociais entre as reuniões pode aumentar a interação entre os associados. O Rotary E-Club One do Distrito 5450, EUA, possui mais de 70 associados em 5 continentes. Como eles interagem principalmente on-line uns com os outros, os líderes de clube tentam fazer com que os debates sejam animados. Uma vez por semana, o secretário publica um tema no fórum do clube, e dá uma semana para que as pessoas pensem sobre o tópico. A reunião semanal é baseada no tópico em questão.

Na comunidade

Misha Garafalo, presidente do Rotary Club de Shorewood, EUA, fez uma pesquisa com os associados e descobriu que eles gostariam de fazer mais contatos na comunidade. Ela então organizou visitas a órgãos de governo, para que os associados conhecessem outras pessoas que possuíam os mesmos interesses que eles. Outros clubes organizam uma reunião mensal sem um programa estabelecido, para que os associados troquem mais ideias.  

Em meu próprio clube, o de San Luis Obispo, EUA, os associados mais envolvidos se reúnem uma vez por semana em uma tabacaria. Todas as quintas-feiras eles se reúnem no local, cujo dono é um dos nossos associados fundadores.    

Esta efervescência de ideias não é o resultado da reflexão de especialistas ou de executivos. É o encontro de um grupo de amigos - muito parecido com as reuniões de Paul Harris e seus amigos em Chicago há mais de um século, quando eles se reuniam para pensar em maneiras de melhorar sua comunidade. 

Texto adaptado de uma história da edição de dezembro de 2013 da revista The Rotarian.

11-Feb-2014
RSS